....
....

21/02/2018

Ricardo participa do lançamento de arquivo e memorial na Fundação Casa de José Américo


O governador Ricardo Coutinho participou, na noite dessa segunda-feira (19), do lançamento do Arquivo e Memorial sobre sua trajetória pública e privada que passa a integrar o Arquivo dos Governadores, na Fundação Casa de José Américo, em João Pessoa. O Arquivo Governador Ricardo Vieira Coutinho está estruturado em dois fundos arquivísticos: Ricardo Vieira Coutinho e Secretaria Particular do Governador.

Na ocasião, ele também assinou o Ato Governamental que cria a Comissão Provisória do Arquivo Público. O Memorial estará aberto à visitação, se tornando uma fonte de pesquisas e contribuindo para pesquisas sobre a história do Estado.



"Este não é um filme pessoal, mas coletivo. Fiz uma trajetória a partir dessa concepção coletiva que vem de movimentos sociais e que conseguiu produzir coisas importantes graças a uma convergência por um interesse coletivo maior. Na verdade, o Memorial representa a luta de inúmeras pessoas que construíram uma caminhada saudável que faz a política ser um instrumento de modificação da sociedade", comentou Ricardo.

O governador também afirmou que se orgulha da caminhada e hoje tem o mesmo sentimento de mudança e busca de melhores condições de vida para a população. "Tudo o que fizemos serve para melhorar a vida do povo. Fico muito feliz em ver esse espaço cheio de memórias e recordações", falou.



Para a irmã do governador, Viviane Vieira Coutinho, o Memorial é um verdadeiro presente, cheio de emoções e com um rico acervo histórico da vida privada e pública de Ricardo Coutinho. "Há dois anos, iniciamos esta missão de fazer o memorial de Ricardo Coutinho. Uma equipe dedicada participou desse projeto e hoje conseguimos ver todo o trabalho concretizado", comemorou.

"Qualquer memória que guarda e difunde a memória coletiva é bem superior à memória individual. É neste sentido, que somos agentes capazes de assegurar a memória do Estado. Hoje inauguramos o Arquivo e dentro deste, o Memorial Ricardo Coutinho que servirão para preservar a documentação pessoal do titular do arquivo, além de outros registros de sua vida pública", observou o presidente da Fundação Casa de José Américo, Damião Cavalcanti.



O arquivo privado Ricardo Coutinho é formado por originais e cópias da documentação produzida ou recebida e acumulada pelo titular no decorrer de sua vida pessoal, no exercício de sua vida estudantil, atividades profissionais, sócio-políticas e sindicais. Os documentos estão distribuídos em seis grupos: Vida Privada, Atuação em Entidades Político-Partidárias, Função Pública: Vereador, Função Pública: Deputado Estadual, Função Pública: Prefeito, Função Pública: Governador.

O Arquivo agrega 69.856 documentos e contém 364 séries e 60 dossiês, relativos aos registros pessoais, profissionais, além dos que tratam das atividades exercidas nas funções públicas, aos eventos, às honrarias recebidas, a matérias jornalísticas de conteúdos diversos e a um conjunto de documentos especiais, como iconográficos, sonoros ou fonográficos, audiovisuais, cartográficos e bi/tridimensionais, registrados em diferentes suportes.



Já o fundo arquivístico da Secretaria Particular do Governador reúne um conjunto documental contendo, dentre outros, ofícios, agendas, memorandos, cronogramas, roteiros de viagem, convites, relatórios, cartas, leis, decretos, medidas provisórias, convênios, acordos, contratos, planos, portarias, projetos de lei, propostas, pautas, registros de audiências, despachos e reuniões.

"São informações que dão conta da vida, obra e trajetória de Ricardo Coutinho desde o seu nascimento até os dias atuais. Aqui temos uma documentação que vai dar a possibilidade de pesquisa sobre um momento histórico da Paraíba e Brasil, já que as informações estão contextualizadas", explicou a coordenadora dos trabalhos de organização do Arquivo, Irene Rodrigues.

O local proporciona um espaço interativo e moderno, capaz de motivar a pesquisa, em todos os níveis de ensino. Também possibilita o acesso à ferramentas digitais, como a mesa touchscreen, dois telões touch e um grande telão. "Instalamos a mesa digital e alguns telões para que as pessoas tenham acesso rápido e de forma interativa à informação. Aqui temos a junção do físico com o ambiente virtual", explicou o presidente da Companhia de Processamento de Dados da Paraíba (Codata), Krol Jânio.



Biblioteca Natércia Vieira

Esta biblioteca também inaugurada homenageia a mãe do governador Ricardo Coutinho e em seu nome todas as mulheres. A Biblioteca Durmeval Trigueiro Mendes, da FCJA, assumiu a responsabilidade de inventariar, organizar e sistematizar os registros com a finalidade de guarda permanente, devendo atuar de forma integrada com o Memorial Ricardo Vieira Coutinho.

O acervo bibliográfico é formado por 1.250 títulos, divididos entre: livros, revistas, folhetos, folders, panfletos, CDs, CD-ROM e DVDs. O conjunto formado pelo Arquivo, pelo Memorial e pela Biblioteca Natércia Vieira, através da exposição física e das ferramentas ajudará a observar aspectos relevantes da vida do titular e do seu tempo - Secom-PB.

Portal Carlos Magno


VEJA TAMBÉM:

Cheirar pum pode prevenir câncer, AVC, ataque cardíaco, artrite e demência, diz estudo de universidade do Reino Unido

- Assassinato de moradores de rua em Campina Grande-PB gera comoção: radialista faz artigo em homenagem a "Maria Suvacão"

- UEPB vai ganhar curso de Medicina no campus de Campina Grande. Veja detalhes

-Cliente que passar mais de 20 minutos em fila de banco na Paraíba receberá indenização

- Jovem forja a própria morte para saber "quais pessoas se importariam com sua ausência" e vem a público pedir desculpas