....
....

14/08/2018

Estudo de Universidade americana diz que viciados em redes sociais são mais propensos à depressão


Um estudo da Universidade de Pittsburgh mostrou que usuários que usam demais as redes sociais são 2,7 vezes mais propensos a sofrer de depressão do que aqueles que as acessam com menos frequência.

A pesquisa examinou o comportamento de 1.787 adultos de 19 e 32 anos e analisou o uso do Facebook, YouTube, Twitter, Google Plus, Instagram, Snapchat, Reddit, Tumblr, Pinterest, Vinha e do LinkedIn. Os que tinham hábitos de uso acima da média, de 61 minutos por dia nas redes sociais e 30 visitas por semana, tinham mais propensão a desenvolver depressão. Mais de um quarto das pessoas estudadas foram classificadas como tendo "altos indicadores de depressão".



Segundo a pesquisadora Lui Yi Lin, embora a ligação entre um elemento e o outro pareça forte, a verdade por atrás da ligação pode ser complexa, já que as pessoas deprimidas possam estar voltadas para as mídias sociais para preencher um vazio.

Outra vertente é da possibilidade de a rede social causar depressão, o que também provoca um uso mais intenso - MSN.

Portal Carlos Magno


VEJA TAMBÉM:

Cheirar pum pode prevenir câncer, AVC, ataque cardíaco, artrite e demência, diz estudo de universidade do Reino Unido

- Assassinato de moradores de rua em Campina Grande-PB gera comoção: radialista faz artigo em homenagem a "Maria Suvacão"

- UEPB vai ganhar curso de Medicina no campus de Campina Grande. Veja detalhes

-Cliente que passar mais de 20 minutos em fila de banco na Paraíba receberá indenização

- Jovem forja a própria morte para saber "quais pessoas se importariam com sua ausência" e vem a público pedir desculpas