....
....

01/10/2018

Você conhece alguém assim? ? ? Transtorno Bipolar atinge mais de 47 mil paraibanos


Dados da Coordenação Estadual de Saúde Mental apontam que de janeiro até o último mês de junho, 47.640 paraibanos foram atendidos por transtorno bipolar ou bipolaridade, sendo encaminhadas 373 pessoas para internação hospitalar. A Organização Mundial de Saúde revela que esse tipo de problema atinge cerca de 4,2 milhões de brasileiros, sendo um transtorno cujo risco gravíssimo é o de apresentar comportamento suicida que chaga a ser 28 vezes maior do que no resto da população.

Estima-se que os pacientes diagnosticados com transtorno bipolar podem desenvolver mais de 10 episódios de mania (euforia extrema) e de depressão durante toda a vida. A duração das crises e dos intervalos entre elas, em geral, se estabiliza após a quarta ou quinta crise. Frequentemente, o intervalo entre os primeiro e segundo episódios pode durar cinco anos ou mais, embora 50% dos pacientes possam apresentar outra crise maníaca dois anos após sua crise inicial.



O médico psiquiatra Thiago Guedes de Andrade, que atua em consultório particular em João Pessoa e em diversas clínicas no Estado, explica que muito embora o transtorno bipolar seja bastante antigo, estando em alta no momento, é bom ficar atento porque o diagnóstico pode ser confundido com alteração de humor. "Muitos pacientes não são bipolares porque mudam de humor da noite para o dia. Então, isso na realidade não pode ser diagnosticado como transtorno bipolar e sim uma mudança corriqueira de humor".

Segundo o médico, o paciente bipolar altera de uma euforia para depressão e não de uma alegria para tristeza, enquanto que esse comportamento não dura apenas um dia e sim períodos que podem durar meses. "Esse sintoma de euforia não é um simples manifesto de alegria, pois quando isso ocorre as pessoas ficam irreconhecíveis e passam a ter um comportamento exagerado, seja ele na maneira de vestir, comer, falar, entre outras atitudes, enquanto que no momento da depressão ela perde o apetite e a vontade de várias coisas".

Ele explica que atualmente cerca de 30% dos seus pacientes são de transtorno bipolar e o tratamento envolve medicamentos, sendo eles em geral estabilizadores de humor. Não existe uma faixa etária de idade para desenvolver o transtorno bipolar, porém, a fase de pico fica na fase entre os 20 e 25 anos, quando adulto jovem e a outra fase geralmente ocorre na faixa entre os 45 a 50 anos de idade, sendo mais comum em pessoas do sexo feminino.

A Paraíba, de acordo com a coordenadora Estadual de Saúde Mental, Iaciara Mendes de Alcantara, dispõe hoje de uma rede que se amplia a cada dia e visa garantir boa assistência a usuários com transtornos e sofrimento mental, como depressão, transtornos bipolar e incluindo também os problemas de saúde decorrentes do uso compulsivo de crack, álcool e outras drogas. As ações neste campo têm como foco atual o tratamento regionalizado, ou seja, o usuário pode ser atendido na região onde mora, pois os serviços são de gestão municipal.

É bom ficar atento pois apenas o médico psiquiatra está habilitado para diagnosticar uma pessoa com transtorno bipolar, sendo isso diagnosticado após exames e conversas com o profissional.

Para esse tipo de serviço a população pode contar com a Unidade de Saúde da Família, Núcleo de Apoio à Saúde da Família, Samu, além dos serviços específicos da Rede de Atenção Psicossocial para o atendimento e, após uma conversa com o médico, a pessoa será encaminhada para os atendimentos necessários.

SAIBA MAIS

O que é transtorno bipolar?


É uma doença mental em que o paciente alterna estados de euforia e depressão, além de fases de 'normalidade' intercaladas.

Causa da doença

A causa exata é desconhecida, mas os cientistas acreditam que esteja ligada à genética - segundo a Associação Brasileira de Transtorno Bipolar, 50% dos portadores da doença apresentam pelo menos um familiar afetado.

Tipos de transtornos

São dois tipos de transtorno bipolar: o I, que é a doença propriamente dita, e o II, em que os episódios de depressão e hipomania (versão mais leve da mania, como é chamada a fase de euforia) são mais curtos e mais espaçados entre si. O primeiro tipo atinge cerca de 1% da população e fica no 10º lugar entre os transtornos mentais mais comuns, enquanto que o segundo tipo atinge cerca de 8% da população.

Tratamento

Depende da fase e da gravidade e sempre envolve medicamentos, em geral estabilizadores de humor e só remédio não basta, é preciso tratamento psicológico para ajudar o paciente a aceitar e controlar a doença.

Estabilizadores de Humor

Os medicamentos estabilizadores do humor são a base essencial da terapêutica preventiva das fases depressivas e eufóricas da doença bipolar. A sua descoberta e utilização revolucionou o tratamento da doença, permitindo a muitas pessoas o controle da perturbação bipolar através de uma prevenção das crises. A par desta ação terapêutica essencial, os estabilizadores do humor também são utilizados para o tratamento das crises de mania, hipomania e estados mistos e podem atenuar os sintomas de depressão.

Matéria Especial extraída do Jornal A União

Portal Carlos Magno


VEJA TAMBÉM:

Cheirar pum pode prevenir câncer, AVC, ataque cardíaco, artrite e demência, diz estudo de universidade do Reino Unido

- Assassinato de moradores de rua em Campina Grande-PB gera comoção: radialista faz artigo em homenagem a "Maria Suvacão"

- UEPB vai ganhar curso de Medicina no campus de Campina Grande. Veja detalhes

-Cliente que passar mais de 20 minutos em fila de banco na Paraíba receberá indenização

- Jovem forja a própria morte para saber "quais pessoas se importariam com sua ausência" e vem a público pedir desculpas