....
....

06/10/2018

Polarização provocada por Bolsonaro esquentou eleição no Brasil; entrada de Ney na disputa deu gás na Paraíba


Dois fatos interessantes deram novo gás à eleição este ano, que vinha meio fria, conforme atestavam os institutos de pesquisa, com os percentuais de brancos, nulos e indecisos beirando as alturas.

Para se ter uma ideia, na primeira pesquisa Ibope para o Governo do Estado divulgada na Paraíba, em agosto último, os percentuais de brancos, nulos e indecisos, juntos, somavam 31%, na estimulada. Na pesquisa espontânea, os percentuais eram ainda mais expressivos: 67%. Ou seja: de cada três eleitores, dois não estavam nem aí para a política.

No caso da primeira pesquisa Ibope para o Senado, esses percentuais também eram expressivos. Brancos, nulos e indecisos somavam 41% no primeiro voto e 52% no segundo voto.

Em termos nacionais, a entrada de Fenando Haddad oficialmente na disputa, a partir do momento em que o PT anunciou que Lula não seria mesmo o candidato, fez com que o petista começasse a herdar os votos que seriam dados a Lula e ele se distanciou do pelotão de baixo, aproximando-se de Jair Bolsonaro.

Porém, a polêmica em torno de Bolsonaro acabou gerando uma polarização, esquentando a eleição. Com isso, os brasileiros se dividiram entre os Bolsonartistas e os anti-Bolsonaro, fato que gerou o clima que a campanha precisava para esquentar. E esse clima foi o grande responsável pelo 'gás' que o pleito precisava para empolgar os brasileiros.

No caso da Paraíba, a empolgação veio, também, de um fato novo: a entrada do ex-Senador Ney Suassuna (PRB) na disputa, como primeiro suplente do candidato Veneziano Vital do Rêgo (PRB). Ney, com seu estilo trator bastante conhecido, arregaçou as mangas e começou as articulações, aparecendo forte na mídia e atuando nas ruas como grande cabo eleitoral de Veneziano - e também de João Azevêdo.

O resultado é que houve um crescimento acentuado de Veneziano - e até também de João - fato verificado nas pesquisas divulgadas nesta reta final desta campanha. Só de reversão de apoios, Ney e sua articulação foram responsáveis pela virada de 32 prefeitos, que apoiavam outros candidatos e passaram a apoiar Veneziano e João.

E com esses dois fatos, a eleição, enfim, retomou seu status de grande festa da democracia. Literalmente - Manchete da Hora.

Portal Carlos Magno


VEJA TAMBÉM:

Cheirar pum pode prevenir câncer, AVC, ataque cardíaco, artrite e demência, diz estudo de universidade do Reino Unido

- Assassinato de moradores de rua em Campina Grande-PB gera comoção: radialista faz artigo em homenagem a "Maria Suvacão"

- UEPB vai ganhar curso de Medicina no campus de Campina Grande. Veja detalhes

-Cliente que passar mais de 20 minutos em fila de banco na Paraíba receberá indenização

- Jovem forja a própria morte para saber "quais pessoas se importariam com sua ausência" e vem a público pedir desculpas