....
....

11/10/2018

Empreendedorismo Rural: Criatividade e elementos rústicos dão tom em restaurante rural de Itapororoca


Empreender é possível em qualquer lugar. Prova disso é o Bar e Restaurante Rural O Cangaço, localizado a um quilômetro do centro de Itapororoca, no Sítio Magalhães, na região do Vale do Mamanguape. A casa de família da empreendedora Cristina Freire foi transformada no estabelecimento onde a culinária típica local e estrutura rústica são os principais atrativos. Hoje, ela é uma das líderes da metodologia Território Empreendedor Sustentável - TES na região, implementado por meio do Sebrae Paraíba.

De acordo com a proprietária do restaurante, Cristina Freire, o local é fácil de ser encontrado por meio das ferramentas de busca na internet e também possui perfis nas redes sociais, como Instagram e Facebook. A ideia de montar um restaurante rural surgiu tanto da criatividade quanto da necessidade: ao mesmo tempo em que precisava ficar mais próxima de casa para cuidar dos pais, a empreendedora já trabalhava no ramo de alimentos aos sábados durante a feira de agricultura familiar da cidade.



"Muita gente dizia que eu deveria abrir meu próprio restaurante, mas precisava de investimento. Então, comecei a pensar que a casa onde nasci e fui criada, que estava fechada porque meus pais vieram morar comigo, poderia ser o meu restaurante. Fiz apenas algumas alterações e não precisei gastar muito. Montei a casa do mesmo jeito que era quando morei nela e as mesas ficam embaixo de árvores, como mangueira e pé de caju", contou Cristina Freire.

Outra forma encontrada para reduzir custos foi utilizar o espaço do sítio para plantar o que vai ser servido aos clientes, como acerola, caju e laranja, para fazer sucos, e macaxeira e feijão verde. "A diversidade é grande. Na época de jabuticaba, por exemplo, colho e faço licores para vender. Também não temos cardápio aqui, então, cozinho o que tem aqui ou o que estiver inspirada para fazer", contou.



A divulgação do lugar, aberto em maio deste ano, foi feita na base do 'boca a boca' ou por meio de mensagens nas redes sociais. "Também divulguei no TES do Vale do Mamanguape, quando participei. Hoje, sou uma das líderes. O Sebrae sempre foi um grande parceiro desde que me tornei microempreendedora individual por causa da loja que tinha. Por isso, sempre busco participar de palestras e projetos", afirmou a empreendedora. De janeiro a agosto deste ano, segundo levantamento realizado pelo Sebrae com base nos dados do Caged, os pequenos negócios do setor de serviços geraram 2.698 postos de trabalho formal.

A analista técnica do Sebrae Paraíba, Marielza Rodriguez, afirma que o estímulo ao empreendedorismo é um dos principais focos do Sebrae por meio da metodologia TES, que trabalha o capital social do território. "Unimos forças e trabalhamos para estimular a governança. Por isso, a metodologia une líderes de todas as esferas que, juntos, pensam o desenvolvimento sustentável da região com apoio do Sebrae. Entendemos o empreendedorismo como alternativa de geração de emprego e renda no território, como fomento à economia local e, através desse estímulo, podemos desenvolver economicamente a região, sem esquecer o social e o ecologicamente correto", explicou - Assessoria.

Portal Carlos Magno


VEJA TAMBÉM:

Cheirar pum pode prevenir câncer, AVC, ataque cardíaco, artrite e demência, diz estudo de universidade do Reino Unido

- Assassinato de moradores de rua em Campina Grande-PB gera comoção: radialista faz artigo em homenagem a "Maria Suvacão"

- UEPB vai ganhar curso de Medicina no campus de Campina Grande. Veja detalhes

-Cliente que passar mais de 20 minutos em fila de banco na Paraíba receberá indenização

- Jovem forja a própria morte para saber "quais pessoas se importariam com sua ausência" e vem a público pedir desculpas