....
....

04/11/2018

Boa Notícia: Início de 2019 deverá ser marcado por chuvas de até 200 mm por dia, no semiárido paraibano


Novembro e dezembro deste ano terão chuvas isoladas no semiárido do Estado. É o que está prevendo o físico e meteorologista Rodrigo Cézar Limeira. Para ele, as chuvas observadas neste mês poderão estar associadas também a Instabilidade Atmosférica decorrente da atuação de Frentes Frias no sul do Estado da Bahia.

O estudioso explica que, com o calor intenso, comum em novembro na região do Sertão paraibano, a interação calor e umidade favorece a ocorrência de chuvas localizadas na mencionada área.

Rodrigo Limeira ainda informou que o fenômeno El Niño está em formação e deve se configurar entre os meses de dezembro e janeiro próximos no Pacífico Central. Com isso, ele acredita em aumento de calor acima do normal no Nordeste para esse final de ano e para o primeiro semestre de 2019. "Isso porque o fenômeno favorece a atuação de uma alta pressão persistente sobre o Nordeste, o ar descendo de altos níveis em direção à superfície inibe a formação de nuvens de chuva e deixa a superfície muito exposta à radiação solar", disse.



Com o El Niño, muita energia disponível para convecção fica presente na atmosfera do semiárido. Assim, eventos de chuva poderão ocorrer nos últimos 60 dias de 2018, sendo que em dezembro a probabilidade de precipitação na região semiárida paraibana aumenta, mas é um chuva que cai de forma muito irregular.

Chuvas de até 200 mm

Limeira pontuou que as chuvas em janeiro de 2019 deverão ficar acima da média no semiárido da Paraíba. Segundo ele, precipitações de 70 mm, 100 mm, 150 mm e até 200 mm poderão ocorrer numa única noite, sendo resultado da atuação de Vórtices Ciclônicos de Ar Superior e também do aquecimento progressivo do Atlântico Sul na altura da costa leste do Nordeste.

"O calor excessivo, associado à configuração do El Niño em janeiro, será o combustível para boas chuvas que devem ser observadas no mês de janeiro de 2019 no semiárido do Estado", finalizou - Ciência em Foco.

Portal Carlos Magno