....
....

08/11/2018

Funcionários do Ministério do Trabalho protestam contra extinção da pasta anunciada por Bolsonaro


Funcionários do Ministério do Trabalho protestaram na tarde desta 5ª feira (8.out.2018) na Esplanada dos Ministérios contra o possível fechamento da pasta, 1 dia após o presidente eleito Jair Bolsonaro afirmar que o Trabalho perderá status e será incorporado "a algum ministério".

Durante o ato, os servidores entoavam o grito: "Fica ministério". Em determinado momento, também cantaram o hino nacional.

Por meio da assessoria de imprensa, o Ministério do Trabalho afirmou ao Poder360 que a iniciativa foi "espontânea e organizada pelos próprios servidores e funcionários terceirizados do Ministério".

No Twitter da pasta, a assessoria divulgou fotos e vídeos da manifestação e afirmou que os servidores que manifestaram são aqueles que "atuam com fiscalização, saúde e segurança do trabalhador, FGTS, seguro-desemprego, qualificação, políticas públicas de emprego, entre tantas outras ações".



Em 1 dos vídeos, a servidora Alda Ataíde de Queiroz disse estar "indignada" com a decisão do governo eleito. Alda afirmou que trabalha há 23 no Ministério do Trabalho, na fiscalização do trabalho escravo.

"Pela 1ª vez eu estou vendo essa mudança radical do novo governo. Discordo plenamente porque com essa mudança o trabalho vai retroceder e a fiscalização vai enfraquecer. Nós temos que ficar atentos à fiscalização dos trabalhadores. A gente tem que lutar mesmo pra não deixar essa mudança acontecer. Não é justo fazer isso com o Ministério do Trabalho", disse.

Para Alda, o anúncio de Bolsonaro é "uma coisa errada".

"Tem que manter o Ministério do Trabalho porque é status chamativo. Eu trabalho em uma área de fiscalização de trabalho escravo. Vocês sabem o tanto que a gente luta pra resgatar os trabalhadores nas áreas rurais? E isso pode não acontecer mais com essa mudança. E quem vai perder com isso é quem sofre com o trabalho escravo", disse.

Outra servidora, identificada como Viviane, também criticou a possível incorporação do ministério a outro.

"Nós somos da fiscalização do MTE [Ministério do Trabaho]. A fiscalização é algo que qualquer sociedade desenvolvida precisa manter organizada porque garante as condições no ambiente de trabalho", disse Viviane, funcionária da pasta há 19 anos.

O que diz o Ministério do Trabalho

Na 3ª feira (6.nov), em meio às especulações sobre a incorporação, o Ministério do Trabalho divulgou nota na qual afirma que a pasta é "seguramente capaz de coordenar as forças produtivas" e "buscar o pleno emprego e a melhoria da qualidade de vida dos brasileiros".

Veja a Nota:

"O futuro do trabalho e suas múltiplas e complexas relações precisam de um ambiente institucional adequado para a sua compatibilização produtiva, e o Ministério do Trabalho, que recebeu profundas melhorias nos últimos meses, é seguramente capaz de coordenar as forças produtivas no melhor caminho a ser trilhado pela nação brasileira, na efetivação do comando constitucional de buscar o pleno emprego e a melhoria da qualidade de vida dos brasileiros", diz a nota - Poder360.

Carlos Magno