....
....

30/04/2020

Ministro da Saúde diz que não é possível iniciar liberação do isolamento e afirma que curva do coronavírus no Brasil está em “franca ascendência”


O ministro da Saúde, Nelson Teich, disse nesta quinta-feira (30) que tem diretrizes prontas para orientação de como gestores estaduais e municipais devem decidir sobre ações de distanciamento social contra o novo coronavírus.

 

Entretanto, Teich apontou que o ministério avalia a forma correta de divulgação dessas diretrizes, pois há receio de que as orientações sirvam de base para afrouxamento prematuro das medidas de distanciamento social.



 

"A gente tem uma diretriz, a gente tem um ponto de partida. Mas algumas coisas são básicas, não dá para você começar uma liberação quando você tem uma curva em franca ascendência. (...) Tem cidades que nem estão com a curva caindo e já tem flexibilização", disse Nelson Teich, ministro da Saúde.

 

"Ninguém está pensando em relaxamento. (...) Neste momento ninguém está pensando em flexibilizar nada, a gente está desenhando um projeto, uma diretriz", disse o ministro.

 

"Se uma diretriz puder soar como recomendação de relaxamento, isso seria muito ruim. Não é o caso", afirmou ainda Nelson Teich.

 

O ministro avaliou que os novos números, que levaram o Brasil a somar 5,9 mil mortes, não impactam as políticas já desenhadas. “Não é porque teve alteração no número de mortes que a política vai mudar. Neste momento, o distanciamento permanece como orientação. E vamos avaliar cada lugar, cada região, quanto de recurso para atender pessoas”, disse – G1.

 

Carlos Magno

 

VEJA TAMBÉM:

Cheirar pum pode prevenir câncer, AVC, ataque cardíaco, artrite e demência, diz estudo de universidade do Reino Unido

- Assassinato de moradores de rua em Campina Grande-PB gera comoção: radialista faz artigo em homenagem a "Maria Suvacão"

- UEPB vai ganhar curso de Medicina no campus de Campina Grande. Veja detalhes

-
Cliente que passar mais de 20 minutos em fila de banco na Paraíba receberá indenização

- Jovem forja a própria morte para saber "quais pessoas se importariam com sua ausência" e vem a público pedir desculpas