....
....

14/06/2021

Homem diz que matou filha de 5 anos estrangulada porque não aguentava vê-la sofrer com separação dele e da mãe


Uma menina de 5 anos foi encontrada morta com sinais de estrangulamento em Guaramirim, no Norte de Santa Catarina, na manhã de sábado (12). Os bombeiros encontraram na casa de um condomínio a vítima sem vida e com um inchaço na região do pescoço. Segundo o delegado Paulo Venera, que investiga o caso, o pai da vítima, de 39 anos, confessou o assassinato.

 

O caso ocorreu no bairro Escolinha, por volta do meio-dia. Segundo a Polícia Civil, o crime teria sido motivado pela separação dos pais, que ocorreu há cinco meses.



Foto: Divulgação/PMSC

 

A mãe da vítima registrou um boletim de ocorrência contra o homem em março deste ano. Segundo a polícia, ela informou que ele ameaçou matar a filha e também se matar. Não foram revelados mais detalhes sobre essa ocorrência.

 

O pai da menina estava no local do crime e tinha ferimentos provocados por uma faca na região do pescoço e no pulso. De acordo com a Polícia Militar, ele foi encontrado ao lado da filha em cima da cama.

 

A faca foi encontrada na residência com marcas de sangue. Ainda segundo a PM, ele foi levado para o hospital em Jaraguá do Sul. Ele recebeu atendimento médico e foi levado até a delegacia, onde prestou depoimento.

 

O corpo de Evylin Vitória Modrok foi enterrado durante a tarde deste domingo (13) no cemitério municipal de Guaramirim.

 

Investigação

 

Para o delegado, o pai da criança disse que cometeu o ato utilizando uma camiseta, porque não aguentava mais ver a menina sofrendo com o fim do relacionamento. Ele foi autuado por homicídio qualificado.

 

Inicialmente, o homem disse aos policiais que a casa teria sido invadida durante a madrugada de sábado e o atacou. Ele teria desmaiado e quando acordou teria visto a menina morta.

 

"Com base no exame da cena do evento e nas lesões verificadas na vítima fatal, realizadas juntamente com os peritos criminais e médico legista, concluiu-se que a versão do pai da criança não tinha fundamento fático probatório", explicou o delegado Venera.

 

Depois, o homem confessou o crime durante o interrogatório à polícia e justificou a motivação. "Ele apresentava sentimentos de arrependimento, mas ao mesmo tempo parecia não estar tão abalado com o fato que cometeu, tentando a todo tempo justificar sua ação dizendo que o sofrimento da criança era muito grande", disse – G1.

 

Carlos Magno

 

VEJA TAMBÉM:

Cheirar pum pode prevenir câncer, AVC, ataque cardíaco, artrite e demência, diz estudo de universidade do Reino Unido

- Assassinato de moradores de rua em Campina Grande-PB gera comoção: radialista faz artigo em homenagem a "Maria Suvacão"

- UEPB vai ganhar curso de Medicina no campus de Campina Grande. Veja detalhes

-
Cliente que passar mais de 20 minutos em fila de banco na Paraíba receberá indenização

- Jovem forja a própria morte para saber "quais pessoas se importariam com sua ausência" e vem a público pedir desculpas