....
....

28/12/2018

Após denúncia do Sintab, Ministério Público intervém e Prefeitura de Esperança cancela decreto de suspensão de serviços de saúde


Após denúncia do Sindicato dos Trabalhadores Públicos Municipais do Agreste e da Borborema (Sintab), o Ministério Público da Paraíba (MPPB) interviu e a Prefeitura de Esperança cancelou o decreto municipal nº 1.874/2018, de autoria do prefeito Nodson Almeida (PTB), que determinava a suspensão de parte dos serviços de saúde da cidade de 33 mil habitantes até 15 de janeiro.

 

Observando a denúncia feita pelo Sintab no começo de dezembro, o MPPB ameaçou ingressar com ação civil pública contra a Prefeitura. O fato foi destaque no site de notícias UOL, que repercutiu o caso em matéria especial divulgada nesta quarta-feira, 26 (CLIQUE AQUI).



 

Para cumprir o decreto da Prefeitura, que justificou a medida alegando diminuição na receita, seriam interrompidos os atendimentos em unidades básicas de saúde, laboratórios, policlínica, farmácia básica, odontologia e Centro de Atenção Psicossocial (Caps), para isso alguns funcionários sairiam de férias e outros seriam remanejados, concentrando o atendimento no hospital da cidade.

 

Conforme destacou o presidente eleito do Sintab, Giovanni Freire, a medida absurda prejudicaria não só a população, mas também os servidores que não se programaram para ter férias neste período. Além disso, ele lembrou que a saúde em Esperança padece com vários outros problemas. “Há insuficiência de medicamentos; escassez de material de trabalho; pouquíssimo material de limpeza; falta um Plano de Cargos, Carreira e Remuneração e é extremamente alto o número de cargos comissionados e contratados. Por tudo isso os servidores da saúde de Esperança pedem socorro, para que verdadeiramente as condições de trabalho possam melhorar”, enfatizou.

 

Ainda segundo o presidente, o Sintab continuará atento à situação dos servidores efetivos da saúde e consequentemente de toda a população de Esperança e tomará todas as medidas necessárias para tentar melhorar as condições de trabalho e de atendimento de saúde no município – Assessoria / Foto: Assembleia realizada no dia 30 de novembro na Câmara de Vereadores de Esperança, para discutir o decreto 1.874.

 

Carlos Magno

 

VEJA TAMBÉM:

Cheirar pum pode prevenir câncer, AVC, ataque cardíaco, artrite e demência, diz estudo de universidade do Reino Unido

- Assassinato de moradores de rua em Campina Grande-PB gera comoção: radialista faz artigo em homenagem a "Maria Suvacão"

- UEPB vai ganhar curso de Medicina no campus de Campina Grande. Veja detalhes

-Cliente que passar mais de 20 minutos em fila de banco na Paraíba receberá indenização

- Jovem forja a própria morte para saber "quais pessoas se importariam com sua ausência" e vem a público pedir desculpas