....
....

01/03/2019

Ex-executivo acusa OAS de pagar delatores em troca de depoimentos favoráveis aos interesses da empresa


Em ação trabalhista movida contra a OAS e obtida por O Antagonista, o ex-gerente Adriano Santana Quadros de Andrade alega que integrantes do “departamento da propina”, que fizeram acordo de delação premiada, “ajustaram seus depoimentos ao interesse” da empresa.

 

Andrade se sente prejudicado por ter negociado individualmente o acordo com o MPF, deixando de receber indenização de R$ 6 milhões dada aos demais.



 

Embora não apresente provas de direcionamento das delações, o ex-executivo arrolou como testemunha um dos colaboradores, que confirmou o valor recebido.

 

A juíza Solange Aparecida Gallo, que acolheu parcialmente o pleito de Andrade, ressaltou na sentença que “o fato de a testemunha ouvida ter recebido benefício em razão de sua delação premiada não gera direito ao autor de receber igual benefício”.

 

E ainda: “Mesmo porque o próprio autor reconhece que o pagamento se deu em razão de a testemunha ter beneficiado a ré em sua delação, o que demonstra que a mesma continua a cometer crimes e omitir fatos à Justiça e que tal benefício também foi pago por ato ilegal cometido, o que não pode ter o aval do Judiciário.”

 

Com a palavra, a OAS – O Antagonista.

 

Carlos Magno

 

VEJA TAMBÉM:

Cheirar pum pode prevenir câncer, AVC, ataque cardíaco, artrite e demência, diz estudo de universidade do Reino Unido

- Assassinato de moradores de rua em Campina Grande-PB gera comoção: radialista faz artigo em homenagem a "Maria Suvacão"

- UEPB vai ganhar curso de Medicina no campus de Campina Grande. Veja detalhes

-Cliente que passar mais de 20 minutos em fila de banco na Paraíba receberá indenização

- Jovem forja a própria morte para saber "quais pessoas se importariam com sua ausência" e vem a público pedir desculpas