....
....

30/03/2019

Veneziano lamenta queda de Campina Grande no Índice Firjan de Desenvolvimento e critica má gestão na Prefeitura


O Senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB-PB) participou de várias entrevistas com jornalistas nesta sexta-feira, 29, em Campina Grande, avaliando seu mandato, mas também respondendo outras indagações jornalísticas, dentre elas, sobre problemas vivenciados atualmente pela atual gestão na Prefeitura de Campina Grande. Para ele, o atual gestor se apega a uma obra que se arrasta há anos – o Complexo Aluízio Campos, edificado com verba federal – e simplesmente abandona a cidade em várias áreas.

 

Para argumentar suas palavras, o Senador usou os dados do último relatório do Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM), divulgado pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro, referente a 2018, que apresenta uma queda significativa nos indicadores que o compõem: geração de emprego e renda, saúde e educação.



 

Campina Grande, conforme a Firjan, nos últimos anos vem caindo em suas posições no ranking, alcançando, nesta última aferição, a posição de número 1.522º, muito distante até do resultado obtido pela capital paraibana, que foi a posição número 722º; como também, ficando atrás de cidades bem menores como Cabedelo (889º); Guarabira (1302º) e Pedra Lavrada (1483º).

 

“Não sou em que estou a dizer, mas o que vemos na mídia, nas redes sociais e nas palavras dos cidadãos e cidadãs. Um dia desses uma mulher desmaiou na porta de um PSF, e teve que ser socorrida pelo SAMU, que só chegou para atendimento uma hora depois, em que pese a instituição ter excelentes profissionais, mas que sofrem, da mesma forma, com a falta de investimentos do Governo Romero”.

 

O Senador disse que o prefeito se apega a uma obra que não é da Prefeitura, mas sim do Governo Federal, e que vem sendo prometida para ser entregue por várias campanhas políticas. “Vemos apenas alguns arranjos em praças (com o interesse de favorecer uma empresa muito próxima do grupo), outras ruas sendo recapeadas, também com recursos federais, e nenhum centavo da Prefeitura. No geral, temos uma cidade com Unidades de Saúde faltando tudo, restaurantes populares, que nós abrimos, todos fechados, em mais de 12; o nosso querido Complexo Plínio Lemos abandonado, etc”, destacou Veneziano.

 

O ex-prefeito de Campina Grande também lamentou que o atual prefeito tenha perdido a verba que sua administração conseguiu para a reforma da Feira Central. “Quando saímos da prefeitura, em 2012, deixamos recursos para a reforma da Feira Central e iniciamos o projeto do novo Centro Administrativo Municipal. Mas, infelizmente, a atual gestão deixou que os recursos voltassem”.

 

Ele disse que Campina merecia mais do atual governo, diante da atual conjuntura da arrecadação municipal. “O Governo Romero reajustou o IPTU em mais de 100% e faz alguns arremedos de asfalto, com recursos federais. Anuncia obras na Av. João Wallig e, quando passamos por lá, não existe nada disso; aumentou a taxa de iluminação pública e a STTP tem sido uma grande fonte arrecadadora, mas, infelizmente, temos uma administração que só se preocupa com praças”, arrematou Veneziano, que foi prefeito de Campina Grande por dois mandatos consecutivos, de 2005 a 2012 – Assessoria.

 

Carlos Magno

 

VEJA TAMBÉM:

Cheirar pum pode prevenir câncer, AVC, ataque cardíaco, artrite e demência, diz estudo de universidade do Reino Unido

- Assassinato de moradores de rua em Campina Grande-PB gera comoção: radialista faz artigo em homenagem a "Maria Suvacão"

- UEPB vai ganhar curso de Medicina no campus de Campina Grande. Veja detalhes

-Cliente que passar mais de 20 minutos em fila de banco na Paraíba receberá indenização

- Jovem forja a própria morte para saber "quais pessoas se importariam com sua ausência" e vem a público pedir desculpas