....
....

30/06/2019

Imagens confirmam que PM entrou no banco de trás da viatura com jovem de 19 anos que afirma ter sido estuprada


Imagens gravadas por câmeras de segurança em Praia Grande, no litoral de São Paulo, mostram um dos policiais militares investigados por estuprar a jovem de 19 anos, entrando no banco de trás da viatura junto com a vítima. De acordo com a Ouvidoria da Polícia do Estado de São Paulo, em depoimento a Polícia Civil, os PMs haviam relatado que ambos teriam ido nos bancos da frente do veículo.

 

"Para os policiais civis, eles alegaram que os dois estavam no banco da frente. O vídeo contradiz o depoimento deles. Isto é citado no pedido de prisão preventiva", explica o responsável pela Ouvidoria da Polícia de SP, Benedito Domingos Mariano.



 

Segundo Mariano, essa é mais uma prova que condiz com o relato da vítima. "Entre mais de 40 mil casos ou procedimentos da Ouvidoria da Polícia, sem dúvida não me recordo de ter caso similar de violência sexual dentro de uma viatura cometido por policiais em serviço, é um absurdo. É um crime gravíssimo e bárbaro", diz.

 

Além das imagens, o laudo pericial feito pela vítima apontou indícios de violência sexual, segundo a Ouvidoria da Polícia do Estado de São Paulo. E, de acordo com a Polícia Civil, os dois policiais militares apontados como culpados por ela foram presos preventivamente no Presídio Romão Gomes.

 

"Esse crime não se relaciona a excesso policial, é pior. Não tenho dúvida que é repudiado pelos próprios policiais militares", finaliza Mariano.

 

Relembre o caso

 

Em entrevista ao G1, a vítima relatou que voltava da festa de uma amiga, dia 12 de junho, quando pediu ajuda a dois policiais, perguntado onde encontrava um ponto do ônibus. "Eu estava vindo de outra cidade e tinha perdido o ponto de descida em São Vicente, onde moro. Então tive que descer em Praia Grande, por isso pedi ajuda", contou.

 

De acordo com a jovem, nesse momento, os policiais ofereceram carona até o Terminal Rodoviário Tude Bastos, na mesma cidade, afirmando que seria mais fácil para ela conseguir pegar um ônibus.



 

A menina relata que sentou no banco de trás da viatura e um dos policiais sentou ao seu lado. Com o carro em movimento, ela conta que ele começou a puxar seu cabelo para que ela o beijasse. Momentos depois, ele a estuprou.

 

A jovem relatou que ficou em estado de choque quando o policial parou de abusar sexualmente dela. “Me deixaram na rodoviária como se nada tivesse acontecido”. Com medo, ela afirma que saiu sem olhar para trás e acabou esquecendo o celular no banco da viatura. "Ele ainda teve coragem de perguntar se estava tudo bem. Eu só queria ir embora", acrescentou.

 

De acordo com a jovem, o processo de recuperação está sendo a parte mais difícil. "Tinham muitas pessoas me julgando, falando coisas horríveis. Me apontaram como mentirosa e falaram que eu queria fama. Até compararam com outros casos", desabafa.

 

O caso segue sendo investigado pela Delegacia da Mulher de Praia Grande e pela Corregedoria da PM, que instaurou um Inquérito Policial Militar (IPM). Além disso, a Polícia Civil afirma que todas as circunstâncias relativas aos fatos são apuradas – G1.

 

Carlos Magno

 

VEJA TAMBÉM:

Cheirar pum pode prevenir câncer, AVC, ataque cardíaco, artrite e demência, diz estudo de universidade do Reino Unido

- Assassinato de moradores de rua em Campina Grande-PB gera comoção: radialista faz artigo em homenagem a "Maria Suvacão"

- UEPB vai ganhar curso de Medicina no campus de Campina Grande. Veja detalhes

-Cliente que passar mais de 20 minutos em fila de banco na Paraíba receberá indenização

- Jovem forja a própria morte para saber "quais pessoas se importariam com sua ausência" e vem a público pedir desculpas