....
....

06/07/2019

Diálogos comprometem Moro fora do Brasil e imprensa internacional diz que “revelações corroeram fortemente a imagem de correção absoluta”


Jornais e sites internacionais repercutiram a capa da última edição de VEJA, “Justiça com as próprias mãos”. A reportagem traz diálogos inéditos analisados pela parceria VEJA e o site The Intercept Brasil mostrando irregularidades cometidas pelo ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro como juiz da Operação Lava Jato.

 

“Uma imagem da capa de VEJA mostra Moro – que de maneira controversa assumiu o trabalho (como ministro) no ano passado depois de ajudar a prender o principal rival de Bolsonaro na eleição, o ex-presidente de esquerda Luiz Inácio Lula da Silva – usando seu dedo indicador para desequilibrar a balança da justiça para a direita”, disse o jornal britânico The Guardian. “Em seu editorial, VEJA afirmou que a reportagem revelou ‘de forma cabal como Sergio Moro exorbitava de suas funções de juiz’.”



 

O jornal argentino Clarín afirmou que a divulgação das novas mensagens comprometem ainda mais a imagem de Moro. “A revista VEJA publicou uma extensa reportagem de capa em que afirma terem sido analisadas 649.551 mensagens trocadas por Moro e promotores ao longo dos anos, especialmente entre 2015 e 2017”, disse o jornal. “As revelações corroeram fortemente a imagem de correção absoluta desfrutada pelo atual ministro. E poderiam até levar à anulação de algumas de suas sentenças.”

 

O jornal chileno La Nación afirmou que a publicação dos diálogos coloca ainda mais em dúvida a imparcialidade de Moro como juiz de casos da Lava Jato e aumentou a pressão sobre o ministro. “Após a publicação, #Morosuacasacaiu se tornou o assunto mais comentado no Twitter no Brasil. Imediatamente, os apoiadores do atual ministro responderam com a hashtag #Morosomostodos.”

 

Reportagem da Agência France-Presse replicada pelo jornal colombiano El Espectador e pelo equatoriano El Universo afirma que VEJA lembrou, em sua Carta ao Leitor, apoiar a Operação Lava Jato, que enviou dezenas de políticos e empresários para a prisão, incluindo o ex-presidente de esquerda Luiz Inácio Lula da Silva.

 

Em parceria com o site The Intercept Brasil, VEJA realizou o mais completo mergulho já feito nas mensagens trocadas pelo aplicativo Telegram. Foram analisadas pela reportagem 649.551 mensagens. Palavra por palavra, as comunicações examinadas pela equipe são verdadeiras e a apuração mostra que o caso é ainda mais grave. Moro cometeu, sim, irregularidades. Fora dos autos, pediu à acusação que incluísse provas aos processos que chegariam depois às suas mãos, mandou acelerar ou retardar operações e fez pressão para que determinadas delações não andassem. Além disso, revelam os diálogos, comportou-se como chefe do Ministério Público Federal, posição incompatível com a neutralidade exigida de um juiz – Veja.

 

Carlos Magno

 

VEJA TAMBÉM:

Cheirar pum pode prevenir câncer, AVC, ataque cardíaco, artrite e demência, diz estudo de universidade do Reino Unido

- Assassinato de moradores de rua em Campina Grande-PB gera comoção: radialista faz artigo em homenagem a "Maria Suvacão"

- UEPB vai ganhar curso de Medicina no campus de Campina Grande. Veja detalhes

-Cliente que passar mais de 20 minutos em fila de banco na Paraíba receberá indenização

- Jovem forja a própria morte para saber "quais pessoas se importariam com sua ausência" e vem a público pedir desculpas