....
....

08/07/2019

Empresário é acusado de abusar de crianças de 7 a 14 anos. Ele dava remédio para dopar as crianças e cometer os abusos


A polícia do Rio de Janeiro procura um empresário suspeito de estuprar seis crianças em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. De acordo as investigações, a mãe de três vítimas - que têm idades de 7, 10 e 12 anos - relatou a situação no dia 11 de junho, quando começaram as investigações.

 

David Marcony Franco Nascimento, que teve prisão temporária decretada e está foragido, também teria abusado dos primos das vítimas, com idades de 10, 11 e 14 anos, segundo a Polícia Civil.

 

No depoimento, a mãe das crianças contou que eles estavam morando na casa do empresário junto com a avó, que era mãe de criação de David, tio das crianças. Ainda segundo ela, David ofereceu a casa depois que ela se separou e não tinha para onde ir.



 

Eles permaneceram na residência do empresário de novembro de 2018 a março de 2019. Ela explicou que deixou o local após se desentender com David, mas os filhos permaneceram morando na casa. De acordo com o depoimento, a avó transferiu as crianças para uma escola particular e passou a sustentá-las.

 

Segundo a polícia, a casa do empresário era grande e tinha piscina, o que atraía os primos das vítimas para a residência nos finais de semana. Apesar da quantidade de quartos, a polícia informou que as crianças dormiam no mesmo quarto do empresário, que dava um remédio para que elas dormissem. Segundo a polícia, as crianças e funcionários da casa relataram o consumo dos medicamentos para facilitar a prática dos abusos.

 

Dois dias após a denúncia da mãe na 17ª DP ( São Cristóvão), a polícia pediu a prisão temporária de David e um mandato de busca e apreensão na casa, além das três empresas em nome dele.

 

Empresário nega

 

A advogada Sílvia Martins disse que ele nunca foi chamado para depor antes do pedido de prisão e que não se apresentou até o momento por questões de segurança. Ainda segundo nota divulgada pela defesa, o empresário estava sendo vítima de chantagem e a mãe estava exigindo dinheiro para que os filhos dela ficassem na companhia dele.

 

Ainda segundo a nota, David tinha acolhido todos em sua casa para que eles tivessem uma vida mais digna e ele entrou com um pedido de guarda judicial das crianças. A advogada afirmou ainda que a mãe exigia dinheiro para as crianças ficarem na casa e que a denúncia foi feita após os pagamentos serem interrompidos. A advogada afirmou que não existe prova concreta contra seu cliente – G1.

 

Íntegra da nota da defesa do empresário

 

Foi veiculado na noite do dia 07/07/2019 uma "reportagem" completamente parcial e sem compromisso com a busca da verdade sobre fatos envolvendo o empresário David Marcony.

 

 

Pois bem, todos que o conhecem sabem que David cresceu na comunidade carioca Pavão e Pavãozinho, tendo sido adotado por uma família da comunidade.

 

Ocorre que David se sobressaiu e venceu na vida, sendo líder e destaque no ramo das telecomunicações.

 

Quem possui proximidade com David sabe de sua bondade e do seu desprendimento com os bens materiais, sendo certo que nem mesmo o seu sucesso o fez esquecer as pessoas que o acolheu no momento mais difícil de sua vida.

 

Foi nesse contexto que David acolheu todos os seus familiares, pois assim poderia lhes proporcionar uma vida mais digna. Porém, o bem lhe foi retribuído com a pior das maldades que o ser humano pode praticar, a ingratidão.

 

Toda a trama criada contra o David se deu pelo fato de, infelizmente, a estrutura familiar de seus entes estava completamente danificada e, devido o envolvimento com o crime organizado por parte dos genitores das crianças, o mesmo preferiu não residir na mesma residência que os mesmos.

 

Assim sendo, considerando que as crianças estavam matriculadas em boas escolas, devidamente acompanhadas por professores particulares, alimentação e saúde, as mesmas decidiram permanecer na casa do David, juntamente com a avó e o tio.

 

O apego do David aos seus sobrinhos era tão evidente que inclusive iniciou o procedimento para o pedido da guarda judicial, pois assim era a vontade das crianças.

 

Tal fato foi visto pela genitora das mesmas como uma oportunidade de ganhar ilicitamente dinheiro, quando passou, dia após dia, a chantagear David em troca da permanência das crianças sob a sua guarda.

 

Por vezes David cedeu às suas chantagens, porém quando decidiu não mais bancar os seus caprichos, a mãe das crianças as buscou abruptamente e as convenceu de fazer parte dessa trama maligna para imputar ao David um crime que jamais cometeu.

 

O argumento usado para persuadir aos filhos a contarem tal mentira ainda não se sabe, mas em breve a verdade será estabelecida e as máscaras serão jogadas ao chão, pois pelo contexto, estavam movidos pela ganância.

 

No entanto, considerando a gravidade das acusações, merece repúdio a atuação da mídia que se aproveitou para proceder com seu costumeiro escárnio.

 

De mais a mais, os fatos causam bastante estranheza, e a ausência de vontade dos repórteres em buscar os fatos de forma isenta, assassina a dignidade de um homem que sempre buscou fazer o bem.

 

Pois bem, da reportagem podemos extrair o seguinte:

 

1- Não há nenhuma prova contra o David, senão as acusações orquestradas para incriminá-lo. Assim, respondendo a pergunta da repórter: O ônus da prova não cabe à defesa, mas a quem acusa, sendo certo que até o presente momento nada comprovou.

 

2- David acolheu toda a família em sua casa, algo que a polícia e a reportagem ignoram para fazer crer que o mesmo agia com o intuito de praticar o crime imputado. Em momento algum David esteve sozinho com as crianças, as quais sempre estiveram acompanhadas da avó, do tio e dos próprios pais. Seriam tão negligentes ou cúmplices seus familiares que nunca viram, ouviram ou suspeitaram de nada??

 

3- Que os trechos da matéria foram ardilosamente decotados e que todas as testemunhas favoráveis ao David foram ignoradas.

 

Vários questionamentos poderiam ser elencados acima, demonstrando que nem a polícia e nem a reportagem sequer se importaram com histórico ou com a motivação dessa infame denuncia, apontando como verdade os fatos completamente controversos.

 

Alguns pontos ainda merecem destaque:

 

- Em maio deste ano todas as crianças estavam com o David no evento público em Olinda, sendo notória a afeição de todos com ele, inclusive com postagens dos mesmos relatando isso em redes sociais.

 

- A coleção de vídeo games encontrada em sua casa estava embalada, pois faz parte do acervo do museu que David estava projetando, fato este muito diferente da alegada fuga planejada.

 

- A sua não apresentação à polícia se deu pelo fato de que a ausência de segurança pública do Estado para proteger os acusados deste repudiado crime causaria imenso risco à sua própria vida ou integridade física.

 

Sem mais delongas, a acusação é grave e merece uma atenção especial, mas jamais um pré-julgamento e o linchamento público promovido pelo jornal. Afinal, a sua inocência se presume até que haja um julgamento judicial, o qual, por certo, trará luz sobre a verdade dos fatos.

 

Assim, fica o pedido a todos aqueles que conhecem o David: que não o julguem precipitadamente, mas que peçam a Deus que a verdade apareça e que a justiça seja feita!

 

Dra Sílvia Martins

Advogada do Sr .Davi Marcony

 

Carlos Magno

 

VEJA TAMBÉM:

Cheirar pum pode prevenir câncer, AVC, ataque cardíaco, artrite e demência, diz estudo de universidade do Reino Unido

- Assassinato de moradores de rua em Campina Grande-PB gera comoção: radialista faz artigo em homenagem a "Maria Suvacão"

- UEPB vai ganhar curso de Medicina no campus de Campina Grande. Veja detalhes

-Cliente que passar mais de 20 minutos em fila de banco na Paraíba receberá indenização

- Jovem forja a própria morte para saber "quais pessoas se importariam com sua ausência" e vem a público pedir desculpas