....
....

02/12/2020

Idosa de 75 anos sofre infarto após ser acusada de furtar chinelo em supermercado no Distrito Federal


Uma idosa sofreu um infarto, no último sábado (28), após ser acusada de furtar um chinelo, em um supermercado, no Jardim Botânico, em Brasília. Milta de Jesus Oliveira, de 75 anos, está internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), do Hospital Universitário de Brasília (HUB).

 

A família da idosa registou ocorrência, por calúnia, na 30ª Delegacia de Polícia de São Sebastião, contra a rede atacadista Super Adega. Em nota, o supermercado admitiu que Milta foi "constrangida" e pediu desculpas pelo ocorrido (veja integra no final da reportagem).



 

De acordo com a ocorrência policial, a aposentada estava acompanhada de duas filhas e um neto. "Após passar todas as compras, cujo valor foi mais de R$ 600,00, [a funcionária do caixa] teria lhe perguntado se ela iria pagar as sandálias que ela furtou também", diz o documento.

 

"Milta começou a ficar nervosa, e explicou o chinelo que estava usando foi um presente de sua filha. A idosa chegou a afirmar que as sandálias que ela calçava não eram novas, como alegava a funcionária do caixa", aponta o boletim.

 

"A funcionária do caixa teria, então, chamado um dos seguranças que fez com que a aposentada provasse que a sandálias não eram produto de furto", diz a ocorrência policial.

 

Internação no hospital

 

Segundo o relato da família de Milta de Jesus Oliveira, após a discussão, um fiscal se desculpou. Ele afirmou que a idosa era muito parecida com uma suspeita de furtar sandálias no local.

 

As filhas e o neto da aposentada procuraram a delegacia. Foi quando a idosa começou a passar mal e foi levada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), de São Sebastião.

 

Depois uma dia internada na UPA, a mulher necessitou de uma UTI. Milta foi encaminhada para a UTI do Hospital Universitário de Brasília (HUB).

 

Ao G1, o neto da aposentada contou que a avó está estável e aguarda por um cateterismo. Johnny Rodrigues de Jesus disse que a família vai procurar a Justiça.

 

"O que a gente mais quer é que ela fique bem e que tenhamos justiça, diante de tudo que aconteceu. Se aconteceu com minha família, pode acontecer com qualquer uma. Por causa da falta de capacidade dos funcionários e da má administração de gestão, isso acontece", disse Johnny – G1.

 

O que diz o supermercado



 

Carlos Magno

 

VEJA TAMBÉM:

Cheirar pum pode prevenir câncer, AVC, ataque cardíaco, artrite e demência, diz estudo de universidade do Reino Unido

- Assassinato de moradores de rua em Campina Grande-PB gera comoção: radialista faz artigo em homenagem a "Maria Suvacão"

- UEPB vai ganhar curso de Medicina no campus de Campina Grande. Veja detalhes

-
Cliente que passar mais de 20 minutos em fila de banco na Paraíba receberá indenização

- Jovem forja a própria morte para saber "quais pessoas se importariam com sua ausência" e vem a público pedir desculpas