....
....

02/04/2021

Morte no Carrefour: viúva de João Alberto recusa R$ 1 milhão de indenização, diz supermercado em nota


O Carrefour informou, por meio de nota, que ofereceu à viúva de João Alberto, homem negro morto por 1 segurança e 1 policial militar na unidade do bairro Passo D’Areia, em Porto Alegre, indenização de mais de R$ 1 milhão oferecida pela empresa.

 

De acordo com a rede de supermercados, Milena Borges Alves recusou a quantia e estaria “insistindo, por intermédio de seus advogados, no recebimento de valores não razoáveis”. A empresa sustenta que o montante solicitado pela mulher está “fora dos patamares jurisprudenciais”.



 

João Alberto morreu em 19 de novembro de 2020, depois de ser espancado pelos 2 homens. Na ocasião, ele era monitorado por funcionários do mercado, enquanto fazia compras com Milena. Uma agente de fiscalização do Carrefour disse à polícia que João era cliente da loja e que tinha atrito com alguns funcionários. A versão, no entanto, é controversa. Uma operadora de caixa, por sua vez, disse que nunca tinha visto a vítima até aquela data.

 

De lá para cá, o Carrefour vem tomando ações com o intuito de se retratar em relação ao ocorrido. O CEO da rede no Brasil, Noel Prioux, gravou um vídeo publicitário em que se desculpava pela morte de João e prometia adotar medidas para a promoção da diversidade.

 

No dia 2 de fevereiro de 2021, a empresa inaugurou oficialmente o site #NãoVamosEsquecer, que tem como proposta dar transparência à sua atuação diante do caso. Foi publicado em data retroativa (dezembro) que a empresa está oferecendo apoio à família da vítima, no entanto, desde então não houve nenhuma atualização sobre como estão sendo as tratativas.

 

Em comunicado disparado para a imprensa, o Carrefour diz que já fechou acordo com os quatro filhos, a enteada e a neta de João Alberto. Segundo a empresa, eles concordaram com os valores oferecidos como ressarcimento. Também é afirmado que o pai e a irmã da vítima já teriam recebido suas indenizações.

 

A empresa diz que a viúva é a única parente que “vem dificultando o consenso” e que o valor oferecido a ela “é bastante superior ao estipulado para indenização por morte de familiar pelo Superior Tribunal de Justiça”. Na conclusão da nota, a rede afirma que “segue firme no propósito de uma composição e se propõe a pagar os honorários dos advogados da senhora Milena, mesmo estando eles acima do padronizado pelo mercado e representando valor relevante”.

 

O Poder360 tentou entrar em contato com Milena Borges Alves, mas não obteve êxito – Poder 360.

 

Carlos Magno

 

VEJA TAMBÉM:

Cheirar pum pode prevenir câncer, AVC, ataque cardíaco, artrite e demência, diz estudo de universidade do Reino Unido

- Assassinato de moradores de rua em Campina Grande-PB gera comoção: radialista faz artigo em homenagem a "Maria Suvacão"

- UEPB vai ganhar curso de Medicina no campus de Campina Grande. Veja detalhes

-
Cliente que passar mais de 20 minutos em fila de banco na Paraíba receberá indenização

- Jovem forja a própria morte para saber "quais pessoas se importariam com sua ausência" e vem a público pedir desculpas