....
....

26/06/2021

Novo estudo internacional comprova eficácia de cada tipo de máscara para reduzir transmissão do coronavírus


Um novo estudo internacional comprova que o uso de máscara diminui muito a possibilidade de transmissão do coronavírus, o causador da Covid-19.

 

De uma descoberta, nasce outra. Da certeza de que a máscara funciona, agora já se sabe qual é a mais eficaz para cada tipo de ambiente. E se são necessários outros cuidados.



Foto: Pixabay

 

As conclusões dos cientistas foram publicadas na prestigiada revista "Science". Os pesquisadores analisaram dois tipos de máscaras: as cirúrgicas e as de alta filtragem, como a N95 e a PFF2. Eles concluíram que o grau de eficácia depende da capacidade de filtrar o ar e também da quantidade de vírus presente no lugar onde a pessoa está.

 

O estudo destaca que a maioria dos ambientes tem baixa concentração de vírus - aí os modelos cirúrgicos, já funcionam bem na prevenção. As máscaras mais avançadas são necessárias em ambientes fechados, que podem ter alta concentração de vírus, como centros médicos e hospitais. E se tornam ainda mais eficazes quando combinadas com outras medidas, como ventilação e distanciamento.

 

Os pesquisadores analisaram três cenários diferentes. A proteção é maior quando todos usam máscara, menor quando só infectados usam e menor ainda quando apenas não infectados estão protegidos.

 

“Outro dado curioso que eles mostram é que segundo o modelo deles matemático, uma pessoa infectada expele quase 100 mil partículas de vírus por minuto. Normalmente, só por falar ou tossir, ou conversar em um ritmo normal. E isso é surpreendente porque isso acaba com aquele pensamento, aquela sensação de segurança: ‘não, vou tirar só tirar a máscara aqui rapidinho pra comer, ou vou tirar a máscara enquanto eu encontrei o meu conhecido’, porque mesmo num intervalo muito curto de tempo, a quantidade de vírus ao qual a gente pode ser exposto é muito elevado’, explica o virologista Rômulo Neris.

 

Esse estudo analisou apenas dois tipos de máscaras. Mas outros artigos científicos usaram outros modelos, como as de pano - que são muito comuns no Brasil - e chegaram a resultados bem parecidos.

 

Uma pesquisa do Instituto de Física da USP, por exemplo, também concluiu que o uso de qualquer tipo de máscara faz diferença na prevenção e controle da pandemia, junto com outras medidas que reduzem a concentração de vírus nos ambientes.

 

“As conclusões da ciência na questão de máscaras e na questão da Covid-19 são muito claras e muito simples. Primeiro: use máscaras sempre. Segundo: mantenha o distanciamento social o máximo possível. Terceiro: ventile os ambientes ao máximo que conseguir, não ficando em ambientes fechados com janelas fechadas. E quarto: tome a vacina o mais cedo que você puder. Com essas 4 medidas, o Brasil vai conseguir vencer a pandemia do Covid-19”, diz o professor Paulo Artaxo – JN.

 

Carlos Magno

 

VEJA TAMBÉM:

Cheirar pum pode prevenir câncer, AVC, ataque cardíaco, artrite e demência, diz estudo de universidade do Reino Unido

- Assassinato de moradores de rua em Campina Grande-PB gera comoção: radialista faz artigo em homenagem a "Maria Suvacão"

- UEPB vai ganhar curso de Medicina no campus de Campina Grande. Veja detalhes

-
Cliente que passar mais de 20 minutos em fila de banco na Paraíba receberá indenização

- Jovem forja a própria morte para saber "quais pessoas se importariam com sua ausência" e vem a público pedir desculpas