....
....

20/07/2021

Centro de Referência da Mulher confirma à secretária Ana Cláudia Patrulha Maria da Penha em Campina Grande


A Secretária de Estado do Desenvolvimento e Articulação Municipal (Sedam), Ana Cláudia Vital, acompanhada de Lidia Moura, Secretária da Mulher e da Diversidade Humana do Estado, do Secretário Executivo da Sedam, Galego do Leite, Dr. Valdé Silveira, Coordenador de Gestão estadual e do Vereador Anderson Almeida (Pila), visitou nesta segunda-feira, 19, o  Centro Estadual de Referência da Mulher Fátima Lopes, voltado para as mulheres vítimas de violências, e que funciona conjuntamente com com o Espaço LGBT.

 

As Secretárias e demais autoridades foram recebidas pelas coordenadoras do Centro, Isânia Monteiro e por Laura Brasil, do Espaço LGBT.



Foto: Divulgação/Assessoria

 

No contato com profissionais de imprensa, a Secretária Ana Cláudia destacou a importância do Centro da Mulher e do Espaço LGBT, notadamente porque tem aumentado os casos de violência nesse período de pandemia.

 

"Temos uma equipe de multiprofissionais para acolher essas pessoas que estejam sendo vítimas de violência . Elas têm esse acolhimento, não apenas em relação à violência que sofrem, mas conseguem apoio para inserção em cursos e também no mercado de trabalho", destacou a Secretária Ana Cláudia.

 

Durante a visita, Lídia Moura falou do importante trabalho que é feito no Centro, contando com psicólogos, assistentes sociais, advogadas, para dar condição à mulher de ela sair desse ciclo de violência a que é submetida por seu companheiro.

 

Lídia anunciou à Secretária Ana Cláudia e aos demais presentes à visita, que o Governador João Azevêdo determinou que a Patrulha Maria da Penha, a partir de agosto, também seja levada a Campina Grande (em parceria com a Secretaria de Segurança Pública) e a mais 35 municípios, dando mais segurança às mulheres vítimas de violência.



Foto: Divulgação/Assessoria

 

A coordenadora do Centro de Referência da Mulher, Isânia Monteiro, registrou que o local atende mensalmente uma média de 68 mulheres. Desde que o espaço foi inaugurado, mais de 3 mil atendimentos foram feitos.

 

Isânia Monteiro falou sobre os serviços oferecidos às mulheres em situação de violência doméstica e/ou sexual, para que sejam acompanhadas e também reinseridas na sua vida normal, longe da violência a que são submetidas.

 

"Nós temos profissionais que vão oferecer ajuda especializada a cada mulher, que vão atender as demandas de cada uma, e que podem, inclusive, ajudá-las a sair de vez do ciclo da violência", afirmou Isânia.

 

Ainda segundo Isânia, o trabalho exercido pelo Centro Estadual de Referência da Mulher, em Campina Grande, conta com parceria com a Delegacia da Mulher, as demais delegacias distritais, com as Universidades, Ministério Público e Tribunal de Justiça.

 

"O objetivo maior do nosso trabalho é devolver à mulher a dignidade humana.  Para que quando ela identifique que está dentro de um ciclo de violência, ela nos procure" ponderou Isânia.



Foto: Divulgação/Assessoria

 

Laura Brasil, do Espaço LGBT, disse que a partir do funcionamento deste equipamento, essas pessoas que foram vítimas de alguma violência, seja física ou psicóloga, passaram a ter uma ferramenta a mais de proteção: "Não vamos retroceder e nem aceitar qualquer tipo de discriminação".

 

É importante que as mulheres que sofrem qualquer tipo de violência procurem imediatamente a Delegacia da Mulher. Em Campina Grande, ela está localizada na Central de Polícia, no Bairro do Catolé. As vítimas também podem ir diretamente ao Centro Fátima Lopes, na Rua Dom Pedro I, 558, no Bairro São José. Ou ligarem para os números (83) 3342-9129 ou 98826-8834, 190, 197 e 123 – Assessoria.

 

Carlos Magno

 

VEJA TAMBÉM:

Cheirar pum pode prevenir câncer, AVC, ataque cardíaco, artrite e demência, diz estudo de universidade do Reino Unido

- Assassinato de moradores de rua em Campina Grande-PB gera comoção: radialista faz artigo em homenagem a "Maria Suvacão"

- UEPB vai ganhar curso de Medicina no campus de Campina Grande. Veja detalhes

-
Cliente que passar mais de 20 minutos em fila de banco na Paraíba receberá indenização

- Jovem forja a própria morte para saber "quais pessoas se importariam com sua ausência" e vem a público pedir desculpas