....
....

21/07/2021

Personal trainer diz ter sido barrada em academia por vestir short considerado curto por funcionários


Uma personal trainer relata que foi impedida de entrar em uma academia na Asa Norte, em Brasília, por vestir um short considerado "curto" pela equipe do estabelecimento (imagem acima). O caso ocorreu na segunda-feira (20).

 

Vanessa Del Solar, de 35 anos, relata que usa o espaço há cerca de um ano para atender alunos. O contrato prevê que os profissionais devem usar calça ou bermuda. Ela afirma que já tinha usado a mesma peça outras vezes, sem problemas, e que funcionários não tiveram qualquer tipo de tolerância.



Foto: Arquivo Pessoal

 

"Para mim, é uma bermuda e a roupa estava adequada", afirma.

 

Em nota, a Bluefit afirmou que exige dos personais um uniforme padronizado que os diferencie dos profissionais das unidades. "Apesar dos cuidados que tomamos, qualquer reclamação ou equívoco nas exigências pode ser levada à ouvidoria da rede. A empresa lamenta o ocorrido e já está em contato com a unidade e com a cliente para avaliar a situação", disse o texto (leia íntegra ao fim da reportagem).

 

Regras

 

Vanessa diz que foi repreendida pela recepcionista logo na chegada. "Disse que o short é curto. Eu falei que já usei a mesma roupa outras vezes e me disseram que a gerência mudou. Questionei se não haveria uma cartilha, algo que explicasse o que é adequado para adaptação".

 

A personal afirma que tentou argumentar para saber se poderia entrar ao menos daquela vez, para não deixar o aluno, que já estava fazendo aquecimento na esteira, sem atendimento. No entanto, foi informada que não poderia entrar.

 

"O que mais me afetou foi aquela exposição ali. Eu esperando na catraca, e só escutava que estava com um short curto. Eu tenho bom senso e consigo escolher uma roupa adequada. Sei que tenho que cumprir as regras da empresa, mas não teve tolerância, nem conversa", disse.

 

Após o caso, a profissional fez o treino do aluno com equipamentos que tem em casa. Vanessa também fez um desabafo em uma rede social. Ela classificou a situação como "desagradável" e "inacreditável". Agora, avalia a possibilidade de levar o caso à Justiça.

 

Leia íntegra da nota da Bluefit

 

"A Bluefit, rede com mais de 100 unidades espalhadas por 13 estados do país, preza sempre pela excelência na prestação do serviço e no atendimento aos clientes. Justamente para manter o melhor serviço, é exigido dos personais um uniforme padronizado que os diferencie dos profissionais das unidades, identificando-os como instrutores particulares. Apesar dos cuidados que tomamos, qualquer reclamação ou equívoco nas exigências pode ser levada à ouvidoria da rede. A empresa lamenta o ocorrido e já está em contato com a unidade e com a cliente para avaliar a situação." – G1.

 

Carlos Magno

 

VEJA TAMBÉM:

Cheirar pum pode prevenir câncer, AVC, ataque cardíaco, artrite e demência, diz estudo de universidade do Reino Unido

- Assassinato de moradores de rua em Campina Grande-PB gera comoção: radialista faz artigo em homenagem a "Maria Suvacão"

- UEPB vai ganhar curso de Medicina no campus de Campina Grande. Veja detalhes

-
Cliente que passar mais de 20 minutos em fila de banco na Paraíba receberá indenização

- Jovem forja a própria morte para saber "quais pessoas se importariam com sua ausência" e vem a público pedir desculpas