....
....

05/09/2021

Psicóloga é encontrada morta em quarto de motel com 28 facadas; marido havia denunciado desaparecimento à polícia


A mulher encontrada morta dentro de um motel na cidade de Pedro Juan Caballero, no Paraguai, que faz fronteira com Ponta Porã, em Mato Grosso do Sul, pode ter sido levada à força até o local do crime.

 

Juana Elva Rojas de Cáceres, 64 anos, psicóloga, foi encontrada pelo gerente em um dos quartos do motel já no chão e totalmente ensanguentada.



Foto: Reprodução/ Canal/MS

 

O Crime

 

Segundo informações da Polícia, Juana chegou acompanhada de um homem por volta das 20 horas de sexta-feira-feira (03) e após cerca de duas horas, o homem que é suspeito do crime, pagou parte da conta da estadia e saiu levando o veículo e os pertences da vítima, informando para o recepcionista do motel que voltaria na manhã deste sábado (4) para quitar o débito.

 

Como o suspeito não retornou no sábado, os funcionários do motel ficaram aguardado a saída de Juana para pagar o restante da conta, mas como ela não apareceu, eles foram até o quarto e começaram a bater na porta. O gerente do motel então entrou no quarto e a encontrou já morta.

 

Suspeitas

 

Uma das linhas de investigação apontam que o suspeito pode ter forçado Juana a ir ao motel. Já que segundo informações, a psicóloga saiu de casa na sexta-feira (3) para atender um paciente e desapareceu.  Seu marido, vendo que a esposa não voltava, denunciou o desaparecimento de Juana junto à polícia local – 3º Canal.

 

Carlos Magno

 

VEJA TAMBÉM:

Cheirar pum pode prevenir câncer, AVC, ataque cardíaco, artrite e demência, diz estudo de universidade do Reino Unido

- Assassinato de moradores de rua em Campina Grande-PB gera comoção: radialista faz artigo em homenagem a "Maria Suvacão"

- UEPB vai ganhar curso de Medicina no campus de Campina Grande. Veja detalhes

-
Cliente que passar mais de 20 minutos em fila de banco na Paraíba receberá indenização

- Jovem forja a própria morte para saber "quais pessoas se importariam com sua ausência" e vem a público pedir desculpas