....
....

14/04/2022

Pastor envolvido em suspeita de corrupção no MEC foi 35 vezes ao Planalto desde início do governo Bolsonaro


Acusado de estar envolvido no escândalo de corrupção com o Ministério da Educação (MEC), o pastor Arilton Moura Correira esteve 35 vezes no Palácio do Planalto desde o início do governo do presidente Jair Bolsonaro. Também citado no caso, o pastor Gilmar Silva dos Santos esteve outras 10 vezes no Planalto no mesmo período.

 

A informação foi divulgada nesta quinta-feira (14) pelo Gabinete de Segurança Institucional (GSI), um dia após o jornal O Globo revelar que o governo federal havia recusado um pedido para apresentar as informações. De acordo com o GSI, os dados foram liberados devido a uma "recente manifestação da Controladoria-Geral da União quanto à necessidade de atender o interesse público".



Foto: Reprodução/Redes Sociais

 

Arilton Moura foi recebido seis vezes no Planalto após agosto do ano passado, quando a Controladoria-Geral da União (CGU) abriu uma investigação para apurar supostas ofertas de propina que ele teria feito.

 

O pastor esteve pela primeira vez no Planalto ainda no primeiro mês de governo, em 16 de janeiro de 2019, com destino ao GSI.

 

Já o pastor Gilmar foi à Presidência pela primeira em 21 de fevereiro de 2019, para visitar a Casa Civil, à época, comandada por Onyx Lorenzoni. Os dois estiveram pela última vez no Planalto em 16 de fevereiro de 2022, também na Casa Civil, que hoje é chefiada por Ciro Nogueira – Correio Braziliense.

 

Carlos Magno

 

VEJA TAMBÉM:

Cheirar pum pode prevenir câncer, AVC, ataque cardíaco, artrite e demência, diz estudo de universidade do Reino Unido

- Assassinato de moradores de rua em Campina Grande-PB gera comoção: radialista faz artigo em homenagem a "Maria Suvacão"

- UEPB vai ganhar curso de Medicina no campus de Campina Grande. Veja detalhes

-
Cliente que passar mais de 20 minutos em fila de banco na Paraíba receberá indenização

- Jovem forja a própria morte para saber "quais pessoas se importariam com sua ausência" e vem a público pedir desculpas