....
....

14/06/2022

Aumento de casos de Covid-19: Prefeitura Belo Horizonte volta a exigir uso de máscara em áreas fechadas


As máscaras voltaram a ser obrigatórias em locais fechados de Belo Horizonte. Em entrevista coletiva ontem, a secretária municipal de Saúde, Cláudia Navarro, anunciou a medida, que entra em vigor a partir de hoje. De acordo com a secretária, o aumento no número de casos de doenças respiratórias registrado nas últimas semanas motivou o decreto. Cláudia avalia que a medida ajuda a evitar novos casos não apenas de COVID-19, mas também de outras viroses.

 

Inicialmente, as máscaras serão obrigatórias em todos os locais fechados até 31 de julho, quando se espera um cenário mais controlado da transmissão do vírus. A decisão foi tomada após uma reunião do comando da Saúde com o prefeito da capital, Fuad Noman (PSD), na manhã de ontem.



Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

 

Conforme noticiado pelo Estado de Minas na última semana, o aumento nos atendimentos, especialmente de pediatria, preocupa as autoridades de BH e é apontado como motivação crucial no retorno das máscaras.

 

“Estamos tendo um aumento no número de novos casos (de COVID) por 100 mil habitantes. Apesar disso, não há elevação no número dos óbitos nem de casos graves, que necessitam de internação. Esse aumento, juntamente com a maior incidência de outras doenças respiratórias, principalmente em crianças, que acontece nesta época – e seria de se esperar – leva a uma dificuldade de dar assistência ambulatorial. Com isso, a partir do momento em que obrigamos o uso da máscara, vamos não só diminuir a transmissão do (corona)vírus como também de outras viroses, principalmente nas crianças e nos pacientes acima de 60 anos”, avalia a secretária.

 

Escolas

 

No que se refere ao ambiente escolar, o decreto estabelece uso de máscara obrigatório apenas dentro das salas de aula e demais locais fechados. A exigência do equipamento também nas dependências ao ar livre deverá ser decidida individualmente pela direção de cada instituição.

 

A entrevista coletiva de ontem foi a segunda concedida pela secretária de Saúde em quatro dias. Na sexta-feira, Cláudia Navarro convocou a imprensa para anunciar um reforço no atendimento pediátrico na rede pública da capital. Na ocasião, ela comentou sobre o possível retorno da obrigatoriedade das máscaras, mas a avaliação era outra: “Entendemos que isso não é necessário no momento”.

 

O mês de maio, primeiro em que o uso de máscara foi amplamente flexibilizado em BH, tornando-se facultativo na maioria dos espaços, apresentou um número de novos casos confirmados de COVID em crescimento contínuo. Entre os dias 17 e 24, a capital computou 888 novos casos. Já entre os dias 24 e 31, o número chegou a 3.478. Já na última semana do mês, foram 4.663 novos resultados positivos para coronavírus, de acordo com o boletim da prefeitura.

 

A notícia do uso obrigatório de máscaras parece ter sido bem aceita. A reportagem do Estado de Minas constatou a presença de aviso nesse sentido colocado ainda ontem na porta da livraria Scriptum, na Savassi – EM.

 

Carlos Magno

 

VEJA TAMBÉM:

Cheirar pum pode prevenir câncer, AVC, ataque cardíaco, artrite e demência, diz estudo de universidade do Reino Unido

- Assassinato de moradores de rua em Campina Grande-PB gera comoção: radialista faz artigo em homenagem a "Maria Suvacão"

- UEPB vai ganhar curso de Medicina no campus de Campina Grande. Veja detalhes

-
Cliente que passar mais de 20 minutos em fila de banco na Paraíba receberá indenização

- Jovem forja a própria morte para saber "quais pessoas se importariam com sua ausência" e vem a público pedir desculpas