....
....

29/03/2019

Bolsonaro diz que ministro da Educação “tem problemas”, não tem “tato político” e que vai “tomar as decisões que tem que tomar”


O presidente Jair Bolsonaro comentou nesta 5ª feira (28.mar.2019) a crise dentro do Ministério da Educação e disse que o ministro Ricardo Vélez não tem tato político. “Ele tem problemas sim, ele é novo no assunto. Não tem o tato politico, vou conversar com ele e tomar as decisões que tem que tomar”.

 

A declaração foi dada durante a comemoração ao 211º aniversário da Justiça Militar da União, no Clube do Exército, em Brasília.

 

Também participaram o vice-presidente Hamilton Mourão, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), o ministro Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública), a procuradora geral da República, Raquel Dodge, e o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).



 

De acordo com o presidente, a conversa com Vélez está marcada para quando Bolsonaro voltar de Israel. Ele viaja ao país em 31 de março e volta em 3 de abril.

 

“Quando eu voltar de Israel tem uma fila de ministros para falar comigo. O ministério que teve algum ruído no passado, sempre a gente busca conciliar e acertar, e estamos continuando nessa linha.”

 

Bolsonaro voltou a negar que tenha demitido Vélez. A informação havia sido dada na 4ª feira (27.mar) ao final do Jornal das Dez, da GloboNews, pela jornalista Eliana Cantanhede. “Estava em São Paulo ontem, não procede a informação, jamais exoneraria alguém por telefone. É educação, né? Tem que dar certo no Brasil, é um dos ministérios mais importantes.”, disse.

 

O político do PSL também disse que não ameaçaria o ministro da Educação. “Eu não vou ameaçar nenhum ministro aqui publicamente. Vamos conversar e se tiver qualquer coisa que não esteja dentro da normalidade a gente acerta.”

 

Demissões da semana

 

Nos últimos 3 meses, ao menos 12 pessoas já deixaram o Ministério da Educação. Nesta 4ª, Paulo César Teixeira anunciou sua saída da coordenação do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). Na 3ª (26.mar.2019), Marcus Vinícius Rodrigues foi demitido da presidência do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira).

 

De acordo com Vélez, a exoneração de Marcus deu-se “porque o diretor-presidente do Inep puxou o tapete” por ter mudado de entendimento sobre Base Nacional Curricular e assinado a portaria que suspendeu a avaliação de alfabetização (que posteriormente foi revogada). O ministro deu a declaração na Comissão de Educação da Câmara.

 

Na 2ª (25.mar.2019), a secretária de Educação Básica do MEC, Tânia Leme de Almeida, pediu demissão depois de não participar da decisão de suspender a avaliação de alfabetização.

 

MEC em crise

 

Desde a semana retrasada, o Ministério da Educação passa por uma guerra de cargos no alto escalão. Na 1ª onda de demissões, 6 servidores foram desligados da pasta:

 

Ricardo Wagner Roquetti: diretor de Programa da Secretaria-Executiva do MEC;

 

Tiago Tondinelli: chefe de gabinete do ministro da Educação;

 

Eduardo Miranda Freire de Melo: secretário-executivo adjunto da Secretaria-Executiva do Ministério da Educação);

 

Claudio Titericz: diretor de programa da Secretaria-Executiva do Ministério da Educação;

 

Silvio Grimaldo de Camargo: assessor especial do ministro da Educação;

 

Tiago Levi Diniz Lima: diretor de Formação Profissional e Inovação da Fundação Joaquim Nabuco.

 

No dia seguinte (12.mar.2019), Vélez demitiu o número 2 na hierarquia da pasta, o então secretário-executivo Luiz Antonio Tozi. Anunciou como substituto Rubens Barreto da Silva, que ocupava o cargo de secretário-executivo adjunto. A indicação não vingou e Rubens também foi demitido.

 

Pela 2ª vez naquela semana, o ministro da Educação confirmou 1 outro nome: Iolene Lima, que fazia parte do quadro da Secretaria de Educação Básica. A mulher é uma evangélica que defende que a bíblia deve ser a base para o ensino infantil nas escolas.

 

Não durou muito tempo. Oito dias após ser anunciada, Iolene deixou o cargo. A nomeação nem chegou a ser publicada no Diário Oficial – Poder 360.

 

Carlos Magno

 

VEJA TAMBÉM:

Cheirar pum pode prevenir câncer, AVC, ataque cardíaco, artrite e demência, diz estudo de universidade do Reino Unido

- Assassinato de moradores de rua em Campina Grande-PB gera comoção: radialista faz artigo em homenagem a "Maria Suvacão"

- UEPB vai ganhar curso de Medicina no campus de Campina Grande. Veja detalhes

-Cliente que passar mais de 20 minutos em fila de banco na Paraíba receberá indenização

- Jovem forja a própria morte para saber "quais pessoas se importariam com sua ausência" e vem a público pedir desculpas